Os Açores, ou oficialmente denominada a Região Autónoma dos Açores, são um arquipélago composto por 9 ilhas que se situa no Atlântico nordeste. É um território autónomo da República Portuguesa, e situa-se ao largo da Costa Portuguesa. Neste artigo, vou dar-vos exemplos de o que fazer na Ilha de São Miguel dos Açores!

A Ilha de São Miguel é a maior das 9 ilhas, bem como de todo o território Português, e é onde se encontra a capital económica da Região Autónoma, Ponta Delgada. É conhecida pela paisagem vulcânica, pela flora e pela rica vida marinha, daí umas das principais atrações ser a observação de baleias.

Ilha de São Miguel Açores
Ilha de São Miguel

A paisagem deste destino é simplesmente maravilhosa! Preparem-se para uma natureza deslumbrante com campos verdes, cascatas, praias de areia escura (origem vulcânica), vegetação variada, densa e florida, lagoas e caldeiras termais onde poderão desfrutar de um banho bem quente, ou de um maravilhoso cozido à Portuguesa, confeccionado num buraco na terra (Furnas).

Conselhos Práticos

Aconselho vivamente a ir com tempo para esta viagem, pois eu estive 1 semana na ilha, e não consegui fazer tudo o que queria! É um destino que deve ser desfrutado com calma.

Outro detalhe muito importante, é que para tirar o maior partido desta viagem, terão que se deslocar independentemente pela ilha, ou seja, alugar um carro, uma mota, ou uma bicicleta.

Quando ir?

O clima dos Açores não é nem muito quente nem muito frio, e está em constante mudança. É uma zona subtropical e apresenta muita humidade, pelo que no mesmo dia podemos apanhar frio, chuva, calor ou vento. Ainda assim, os meses mais chuvosos são de Outubro a Dezembro, e os mais secos são de Junho a Agosto.

Posso dizer contudo, que viajei para lá em final de Maio/início de Junho, e apanhei ainda alguma chuva ligeira, mas andei bastante confortável apenas com calções, e um casaco impermeável salva sempre a situação!

Campos Verdes Ilha São Miguel Açores

A não perder na Ilha de São Miguel

No mapa abaixo, poderão encontrar a vermelho os pontos considerados obrigatórios visitar durante a vossa viagem nesta ilha:

Ao longo das recomendações abaixo, poderão ver que sugiro algumas Tours e Actividades. Apesar de poder não ter experimentado todas daquele(s) fornecedor(s) específico(s), tento aconselhar-vos apenas aquilo que se assemelha ao que fiz durante a minha estadia na ilha, e que tenha qualidade e bom feedback! 🙂

Lagoas

Lagoa do Fogo

A Lagoa do Fogo é a segunda maior lagoa e a mais alta da Ilha de São Miguel e é classificada como Reserva Natural desde 1974. Localiza-se no topo do grande Vulcão do Fogo, também conhecido como Vulcão de Água de Pau.

Lagoa do Fogo Açores
Lagoa do Fogo, Açores – Fotografia de Nuno Antunes

É um local que convida a grandes caminhadas no meio da natureza, e podem fazer desta uma paragem na vossa roadtrip, ou incorporar a visita numa Tour que até já inclua guia turístico e transporte. Em baixo dou duas ideias que me pareceram bastante interessantes, fornecidas pelos operadores turísticos Get Your Guide e Viator.

Lagoa das Sete Cidades

A Lagoa das Sete Cidades localiza-se no topo da Caldeira das Sete Cidades, que é uma das maiores do mundo. É famosa e conhecida pela dupla coloração das suas águas, em que de um lado temos uma Lagoa Azul, e do outro uma Lagoa Verde.

Um detalhe menos conhecido, mas muito curioso, é que perto da Lagoa das Sete Cidades existe um hotel que foi abandonado – o Hotel Monte Palace. Com cuidado, é possível visitar as suas ruínas, e aceder às Suites que teriam uma maravilhosa vista sobre a Lagoa, como podem ver em baixo. O miradouro que se encontra perto deste hotel tem o famoso nome de Miradouro da Vista do Rei.

Para além da vista, o Hotel Monte Palace permite também estacionar facilmente nos seus antigos parques de estacionamento, para que depois possam desfrutar da área a pé. No entanto, se optarem por uma das tours abaixo, não precisarão de se preocupar com isso!

Seja num passeio mais radical de Buggy no dia inteiro, onde passarão também por outros pontos na ilha, como o Miradouro do Pico do Carvão, ou numa caminhada de forma mais relaxada (ver em baixo), há formas de conhecer a Lagoa das Sete Cidades para todos os gostos! E muitas já têm almoço incluído!

Lagoa das Furnas

A Lagoa das Furnas encontra-se rodeada por diversas manifestações vulcânicas tais como as fumarolas e as caldeiras de águas ferventes. É nas margens desta lagoa que se faz o famoso Cozido das Furnas, debaixo da terra, com o calor dessas manifestações vulcânicas. Irei dar-vos dicas sobre isto mais abaixo, na secção da Gastronomia.

Caldeiras na Lagoa das Furnas

Lagoa do Canário

A Lagoa do Canário não é tão conhecida em si, mas existe um trilho associado à mesma que é, que nos leva até ao Miradouro da Grota do Inferno (conhecido também por Miradouro da Boca do Inferno). Este miradouro é considerado um dos locais mais bonitos da Ilha, e utilizado em muitos panfletos turísticos sobre os Açores, onde é possível observar em simultâneo a Lagoa das Sete Cidades, a Lagoa Rasa, a Lagoa de Santiago e a Lagoa do Canário.

Miradouro da Grota do Inferno – Fotografia de JCNazza

Para aceder devem entrar pelo Parque Florestal da Mata do Canário, que tem horário de abertura para as viaturas. No entanto, quando se encontra fechado, há quem se aventure a caminhar até chegar ao ponto de interesse.

Parque Florestal da Mata do Canário

Termas

A Ilha de São Miguel é muito conhecida pelas suas águas termais e caldeiras, e essa é uma das razões que torna esta ilha um ponto de contacto com a natureza fantástico, pois para além de bonito, é relaxante! As piscinas térmicas mais conhecidas encontram-se no Vale das Furnas, que é a cratera de um vulcão que adormeceu em 1630, e que hoje abriga a Vila de Furnas e o Parque Terra Nostra.

Parque Terra Nostra

Piscina Termal Parque Terra Nostra Açores
Piscina Férrea do Parque Terra Nostra

A piscina de água quente mais famosa da Ilha de São Miguel encontra-se aqui! O Parque da Terra Nostra é um jardim botânico português que, para além de uma vasta colecção de plantas e árvores emblemáticas e de um Hotel (Terra Nostra), apresenta a famosa piscina de água férrea natural – daí a sua cor castanha. A nascente de água termal que alimenta este “tanque” está a uma temperatura que ronda os 35-40º Celsius, o que proporciona uma sensação de repouso e relaxamento divinais! Por ser quente, e ter uma cor evidentemente activa, aconselho-vos a levar um fato de banho que seja para “estragar”, visto que vai ficar todo relaxado e manchado.

Neste parque existe um “tesouro” não tão conhecido numa zona mais lateral e recôndita do Parque, que são uns jacuzzi naturais, que me fascinaram! Têm jatos a sair da parede, e acesso facilitado, onde até podemos pendurar o nosso roupão. Posso dizer que fiquei lá cerca de 2h à vontade, e senti-me um crocodilo “de molho”! 😅

Piscina Térmica Parque Terra Nostra Açores
Jacuzzi Natural” do Parque Terra Nostra

Caldeira Velha

Ao contrário da Piscina Termal do Parque Terra Nostra, a Caldeira Velha apresenta piscinas cujo solo é “naturalmente em bruto”, ou seja, conseguem sentir o chão feito de pedra natural, o que vos dará uma sensação ainda mais próxima da natureza! Isto, e o facto de estarmos rodeados de diferentes espécies de plantas, e dos sapos estarem a coaxar bem perto de nós, foi a minha parte favorita da Caldeira Velha! Fez-me sentir estar num Spa mesmo no meio da natureza!

Piscina Térmica Caldeira Velha Açores
Piscina Térmica Caldeira Velha

Outra coisa que também torna a Caldeira Velha única, é que aqui podemos encontrar uma cascata numa das piscinas, como podem ver em baixo.

Cascata na Caldeira Velha

Poça Dona Beija

A Poça da Dona Beija é mais um local onde se podem deliciar com banhos de água naturalmente aquecida. Confesso que na minha viagem à Ilha de São Miguel não cheguei a frequentar este espaço, mas não podia deixar de vos recomendar! Tem 5 piscinas com temperaturas ligeiramente diferentes, e uma das zonas até mistura água termal com água da Ribeira, como podem ver no mapa aqui. Para além de um espaço de lazer, tem uma forte componente terapêutica devido às propriedades do alto teor férreo das águas Furnenses.

Acima mostro-vos uma tour que vos leva à Poça da Dona Beija no final do dia, e integra um jantar do Cozido das Furnas sob a luz das estrelas! Acredito que não se vão arrepender de experimentar!

Ponta da Ferraria

A Ponta da Ferraria situa-se no extremo sudoeste da Ilha de São Miguel, e é conhecida pela sua piscina natural inserida numa “Pseudocratera”, cuja origem provém do contacto entre a lava quente e a água do mar.

Ponta da Ferraria Ilha de São Miguel Açores
Ponta da Ferraria

Actualmente, esse calor ainda se sente nas rochas, e é isso que faz com que a piscina consiga chegar a 30º ou mais, consoante o nível da maré. A altura ideal para visitar este local é quando a maré estiver média ou pouco baixa, para que as temperaturas sejam mais agradáveis.

Gastronomia

Furnas

Para além dos banhos termais, a actividade vulcânica adormecida na ilha dá origem às fumarolas e aquece o solo a temperaturas mais elevadas do que o normal, o que permite a confecção do famoso Cozido das Furnas e do Bolo Lêvedo, que não podem deixar de provar!

Cozido das Furnas no Restaurante Caldeiras e Vulcões

No Vale das Furnas existem diversos buracos na terra que são reservados por diferentes restaurantes, para que possam confeccionar o cozido. As carnes e os legumes são todos colocados numa panela que é atada com uma corda, envolvido num saco de serapilheira (algumas) e depois colocada no buraco para cozer durante cerca de 5 a 7 horas. Fica uma delícia! Muito tenro e saboroso! Senti falta foi da farinheira, que me parece não ser tão utilizada como nós fazemos no continente, e nos Açores é utilizado o Ínhame, que é um tubérculo macio facilmente produzido nos Açores, devido à elevada humidade.

Cozido a ser preparado no Vale das Furnas Açores
Preparação do Cozido nas Furnas

Antes de comer o cozido num restaurante, é possível ir ver a panela ser retirada do buraco na terra, o que é uma experiência bastante diferente. No entanto, visto ser uma actividade muito requisitada, aconselho que escolham o restaurante, e marquem com antecedência o almoço, para poderem ficar logo a saber a que horas podem ir ver o vosso Cozido a ser recolhido.

Recolha do Cozido nas Furnas Açores
Recolha do Cozido nas Furnas – Fotografia de Schnobby

O restaurante em que almocei foi o Caldeiras e Vulcões, onde o cozido estava delicioso e a vista do restaurante acompanha muito bem! E foi uma sorte pois já era a última dose disponível! Existem vários entre os quais poderão escolher, sendo que outro muito conhecido é o Tony’s.

Têm sempre a opção de agendar uma Tour que inclui já o transporte e a marcação desta experiência e almoço, com a hipótese de conhecer o litoral nordeste da ilha:

Outra especialidade gastronómica típica e exclusiva do Vale das Furnas é o Bolo Lêvedo. Por fora parece o Bolo do Caco (do arquipélago da Madeira), mas o sabor é ligeiramente mais doce. Acompanha muito bem com a compota de Ananás, também uma iguaria dos Açores, ou mesmo com recheios mais salgados!

Plantações de Ananás

O Ananás é o rei dos frutos no arquipélago dos Açores, e existem várias plantações que podem visitar para perceberem melhor o seu processo de produção, entre elas a Ananases Augusto Arruda, que tem mais de 100 anos de história.

Ananás na Estufa A. Arruda – Fotografia de Sara Cardoso

Infelizmente não cheguei a conseguir visitar, mas é algo que tenciono fazer quando voltar a São Miguel! Não só tem uma história que já remonta ao século XIX, como é uma fruta ainda hoje de forte valor comercial e muito saborosa!

Plantações de Chá

Portugal foi o primeiro país Europeu a consumir chá, trazido do Oriente durante a Época dos Descobrimentos, no século XVII. Mas o que deu origem ao investimento na produção do chá para fins comerciais nos Açores, foi o facto da produção de laranja ter começado a decair em meados do século XIX, o que obrigou os agricultores micaelenses a procurar produções mais rentáveis.

Prova de Chá na Fábrica de Chá do Porto Formoso

Hoje em dia, a produção de chá é tão famosa na Ilha de São Miguel pois é nesta ilha que se encontram as únicas plantações de chá na Europa para fins industriais! Estas estão na Fábrica de Chá do Porto Formoso e na Fábrica de Chá Gorreana. A localização de ambas as fábricas, no norte da ilha, está estrategicamente ligada ao facto desta zona apresentar um clima húmido e um solo argiloso, factores que se dão bem com a planta do chá, a Camellia sinensis.

Para visitar as fábricas, não é necessário pagar nem comprar nenhum bilhete em avanço! Basta dirigirem-se às fábricas durante o seu horário de funcionamento 🙂

Entrada para a Fábrica de Chá Gorreana

A Fábrica de Chá Gorreana é a mais antiga, fundada em 1883, e é uma empresa familiar que preserva ainda hoje o mesmo método de produção que as primeiras das cinco gerações associadas ao negócio utilizavam. Está aberta de 2ª a Domingo, e podem ver o processo de produção e toda a maquinaria que está dentro da fábrica, bem como provar o chá que é servido no final da visita gratuitamente, em duas máquinas que oferecem a opção de chá quente e chá frio. No final, vão ter à loja, onde poderão comprar o chá para levar para casa!

Nesta loja também têm a oportunidade de provar uns gelados maravilhosos, produzidos regionalmente com o leite de melhor qualidade que os Açores têm para oferecer! É sempre uma boa opção para aqueles que não apreciam chá, ou vão fazer a visita com crianças!

A Fábrica de Chá do Porto Formoso fica também na região norte da ilha, e foi fundada mais tarde, na década de 1920.

A visita começa pelo laboratório onde é feito o controlo da qualidade, e no final do percurso é servido um chá numa sala recuperada e inspirada nas cozinhas tradicionais da ilha de São Miguel, ou numa esplanada com vista para as plantações de chá, bem como para a freguesia de Porto Formoso.

Uma curiosidade que pode ajudar-vos a determinar quando visitar a ilha, é que na Primavera (altura da apanha da folha para chá), a Fábrica recria a apanha das folhas com trajes típicos do século XIX.

Outros pontos de interesse

Parque Natural da Ribeira dos Caldeirões

O Parque Natural da Ribeira dos Caldeirões é uma área protegida açoriana, na zona Nordeste da ilha, onde é possível observar uma flora bastante variada, bem como a atracção mais famosa que é a cascata!

A entrada no Parque Natural da Ribeira dos Caldeirões é gratuita e existe estacionamento para os visitantes. O local possui ainda um Centro Municipal de Artesanato, cafeteria, loja de souvenirs e um espaço para as crianças brincarem.

Salto do Cabrito (Cascata)

O Salto do Cabrito é uma cascata lindíssima no concelho da Ribeira Grande, e apesar de poder ser acedida a pé ou de carro, aconselho vivamente a fazerem o trilho que está associado! Irão encontrar ao longo da caminhada algumas caldeiras, que estão mais isoladas da zona turística, o que vos permite observar tudo com mais calma, bem como uma natureza mais selvagem.

O percurso demora cerca de 3h (dependendo do ritmo de cada um), e tem algumas partes com maior dificuldade (zonas mais inclinadas), mas a chegada à cascata compensa tudo! Devem no entanto levar roupa e calçado confortável, a vossa garrafa de água reutilizável e a máquina fotográfica para registar o momento!

Quem não se sentir com coragem ou caso esteja a chover muito, pode sempre estacionar o veículo num parque que fica apenas a cerca de 50 metros da cascata.

Ilhéu de Vila Franca

Ilhéu de Vila Franca – Fotografia de Ferdinand Stöhr

Situado a cerca de 1km da costa, em frente à povoação da Vila Franca do Campo, podemos encontrar este lugar de carácter único! O Ilhéu é nada mais nada menos que a cratera de um vulcão que se encontra submerso, e é considerado uma Reserva Natural. Por esta razão, o número de visitantes é limitado a 400 por dia, para diminuir o impacto na flora, fauna e geologia local.

O acesso só é possível durante os meses de Junho a Setembro, e apenas utilizando um barco especial para o serviço que parte do Cais de Tagarete. Actualmente já se podem comprar bilhetes para o Cruzeiro do Ilhéu em avanço online, aqui.

Outra hipótese que podem aproveitar, é combinar uma ida ao Ilhéu de Vila Franca com a observação dos golfinhos e baleias (que falo mais em baixo neste artigo) – creio ser uma das melhores combinações possíveis, pois já que estão no mar, vêem os cetáceos, e depois podem ir ainda aproveitar para fazer snorkeling no Ilhéu!

No centro de Ponta Delgada

Confesso que não explorei tanto assim a componente citadina da Ilha, visto que São Miguel (e os Açores no geral pelo que percebo) são uma tentação DA NATUREZA! Portanto maior parte do tempo optei por estar a fazer caminhadas, a explorar as lagoas, e a conhecer as zonas de água e cascatas que a ilha tem para oferecer (como vos falei no artigo até agora). No entanto, especialmente ao final do dia em que apetece reabastecer as energias, sabe bem vir passear pela cidade e comer num bom restaurante (aconselho vivamente A Tasca!) depois de um bom banho!

Sendo a maior da Região Autónoma dos Açores, é uma cidade moderna e cosmopolita, e apresenta já uma grande variedade de edifícios e serviços. É uma cidade plana, fácil de caminhar, localizada perto do mar, e os seus edifícios têm todos uma linha simples e clássica.

Portas da Cidade

Para além dos edifícios municipais, podemos ver a Igreja Matriz de São Sebastião mesmo no centro da cidade, em frente a uma zona de repouso e esplanada, perto da zona marginal.

Igreja Matriz de São Sebastião na Ilha de São Miguel nos Açores
Largo da Igreja Matriz de São Sebastião

A estrutura talvez mais emblemática e facilmente reconhecida de Ponta Delgada são as Portas da Cidade, que estão mesmo entre a praça central da Freguesia de São Sebastião e a Avenida Infante D. Henrique (avenida litoral). Estas portas foram erguidas em 1783 e são um símbolo da defesa terrestre primitiva da cidade.

As Portas da Cidade em Ponta Delgada – Fotografia de Sergey Ashmarin

Portas do Mar

Outro empreendimento muito conhecido agora em Ponta Delgada são as Portas do Mar, inaugurado em 2008, que veio dinamizar a orla marítima da cidade. As Portas do Mar associam um terminal de Cruzeiros e Marina com um espaço comercial (com lojas e restaurantes) e acessibilidades como parque de estacionamento, o que veio promover ainda mais o turismo e a frequência dos habitantes locais nesta zona.

Portas do Mar em Ponta Delgada na Ilha de São Miguel dos Açores
Portas do Mar em Ponta Delgada

Observação de Baleias e Golfinhos (Cetáceos)

É nesta zona marginal da cidade que podemos encontrar as empresas que oferecem as tours de observação de baleias e golfinhos, bem como experiências de mergulho e snorkeling.

As águas do arquipélago dos Açores são área residente de muitas espécies (como os golfinhos comuns e roazes) e também integram a rota migratória de várias baleias. No verão é mais frequente avistar os golfinhos pintados, cachalotes, baleias sardinheira e de barba, enquanto que a baleia azul é facilmente avistada nos finais do Inverno.

É raro não haver avistamento, pois em 98% das saídas são observadas baleias ou golfinhos, seja qual for a época do ano. A segurança nesta probabilidade é tanta, que muitos operadores turísticos se comprometem a devolver o dinheiro quando chegamos a terra e não tivermos avistado nenhum cetáceo.

Operador Moby Dick-Tours para Observação de Cetáceos

No entanto, probabilidades à parte, este foi o meu caso! 😅 Não vi nenhuma baleia nem golfinho, mas tive a sorte de avistar uma tartaruga-marinha, que já foi espectacular! Claro que não aceitei todo o dinheiro de volta, pois a tripulação tinha gasto dinheiro ainda assim com a deslocação do barco, não seria justo! E apesar de ao início ter adorado a adrenalina da experiência, passei as últimas horas um bocado nauseada, pelo que vos aconselho vivamente a tomar um comprimido para o enjoo antes de irem para o mar. Mas apesar do resultado final, só posso dizer que adorei a aventura, e mal posso esperar por repetir e para tentar a minha sorte novamente! Não é uma actividade muito barata, mas é absolutamente algo único que devemos fazer pelo menos uma vez na vida – e com certeza até umas das razões pelas quais escolheram ir aos Açores, certo?! 👍😜 Com a Moby-Dick Tours lembro-me de ter pago cerca de 60-70€ (e depois recebi de volta o total menos 10€ que quis contribuir para o combustível utilizado no passeio).

Caso queiram marcar o vosso passeio directamente, aconselho-vos a tentarem contactar uma das seguintes empresas: a Futurismo, a Terra do Pico ou a Terra Azul.

Outra alternativa é integrarem esta experiência numa das tours que vos aconselho em baixo, em que maior parte são realizadas igualmente pelos operadores que indiquei em cima, mas integram outras actividades (como por exemplo, passeios pelas Lagoas).

Muito resumidamente, a Ilha de São Miguel dos Açores é um destino extremamente atractivo, especialmente para os amantes da Natureza, com actividades de terra (caminhadas, canyoning, excursões de buggy) e de mar (mergulho, snorkeling, observação de cetáceos) super interessantes! É um destino super acessível (conseguem-se voos muito em conta quando comprados com pelo menos uns 3 meses de antecedência), a comida e restantes serviços são também bastante viáveis economicamente, pelo que não há razões para não ir!

Divirtam-se!

Icons made by Smashicons and Pixel Buddha from www.flaticon.com

2 thoughts on “O que fazer na Ilha de São Miguel dos Açores?”

    1. Thank you for your feedback Greggmop! 😀 Let me know if you have any questions!

      Have you been in São Miguel, or are you thinking of going?

      Cheers,
      Patrícia Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *